Blog

A gengivite é hereditária. Mito ou verdade?

A gengivite é uma resposta inflamatória desencadeada pelo nosso organismo. Onde ocorre? Ela ocorre quando a placa que contém bactérias se acumula nos dentes, produzindo toxinas que irritam a gengiva. Mas, sendo uma doença bucal tão comum, qual seria sua origem? Será que ela é hereditária? Continue lendo para saber!

A imagem mostra um pai escovando os dentes de seu filho.

Sintomas da gengivite

São vários os sintomas da gengivite. Inicialmente, a inflamação pode começar de forma bem discreta, mas se não for tratada, a tendência é de que evolua. Conforme o ritmo, ela ainda pode se tornar mais intensa e extensa.

Entre os principais sinais e sintomas, estão:

• Vermelhidão;
• Escurecimento da gengiva;
• Inchaços;
• Dor ao mastigar, em alguns casos;
• Sensibilidade;
• Sangramento das gengivas;
• Mau hálito.

Existe também a possibilidade de a gengivite se tornar uma periodontite, condição mais grave que afeta todos os tecidos que sustentam os dentes. Inclusive, promovendo a perda óssea dos dentes.

Esse problema pode ser hereditário?

A principal causa da gengivite é a má higiene bucal. Quando não escovamos os dentes ou fazemos isso de forma insuficiente e inadequada, os resíduos de alimento não são eliminados. Com isso, se forma um biofilme (massa de resto alimentar) no esmalte dentário chamado placa bacteriana, que contém micro-organismos agressivos.

As bactérias se alimentam desses resíduos e liberam toxinas que estimulam a resposta inflamatória do organismo, então, surgem os sintomas da gengivite. É verdade que algumas pessoas têm uma maior suscetibilidade ao desenvolvimento da doença, mas isso não significa que seja algo hereditário.

Mantendo uma boa higiene bucal a gengivite não se manifestará, porque não haverá alimento para as bactérias que causam esse problema. Uma pessoa saudável e que também tenha uma saúde equilibrada bucal não terá gengivite por causa da sua genética.

Como dito, algumas pessoas têm um risco aumentado para esse problema em função de condições como desequilíbrios hormonais, diabetes e tabagismo. Também é verdade que algumas vezes, por causa da sua genética, podem ter gengivas mais sensíveis, mas isso não significa que terão problemas de gengivite.

Como evitar a gengivite?

Como você viu, para que gengivite se manifeste é preciso que aconteça uma proliferação exagerada de bactérias na boca. Sendo assim, a melhor forma de evitar esse problema de saúde é não oferecer para esses micro-organismos o ambiente que eles precisam para se desenvolverem.

Portanto, faça a higienização dos seus dentes e da boca após cada refeição e, pelo menos uma vez por dia, use o fio dental. Não se esqueça de visitar seu dentista no intervalo estipulado por ele, para eliminar os resíduos que, ao escovar, não foram removidos, e que variam de acordo com as condições bucais de cada pessoa.

Para quem tem diabetes é muito importante manter essa doença sob controle, porque o excesso de glicose no organismo deixa a gengiva mais sensível às inflamações. Aqueles que fumam, manter uma higiene bucal rigorosa, sendo mais adequado evitar esse hábito.

Mas não se preocupe, porque mesmo que alguém da sua família tenha gengivite constantemente, se você manter uma boa saúde e higiene bucal, beber bastante água e adotar uma alimentação nutritiva, você protegerá a sua boca da doença da gengiva.

E conte sempre com um bom dentista para lhe dar suporte, ajudar a adotar medidas preventivas e cuidar melhor da sua saúde bucal, longe de inflamação da gengiva. 

Dra Licia Ney Pizzocolo Gonzalez apex odontologiafaixa-apex-odontologia

Por Dra. Lícia Ney Pizzocolo Gonzalez
CRO-SP 61423

Formada pela Universidade Estadual de São Paulo – UNESP – em 1998, é pós-graduada pela UNICAMP em especialização de periodontia e pela ABCD em especialização de ortodontia. Atua na área de estética, cirurgia oral e implante.

faixa-apex-odontologia

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fale Conosco

× Agendar Consulta