Prevenção Odontológica

As visitas ao dentista não devem acontecer apenas quando algo já está errado com a saúde bucal. Parte do trabalho do dentista é auxiliar seu paciente com a prevenção odontológica, conhecida como o conjunto de ações e hábitos que evitam a manifestação de problemas e doenças.

A prevenção depende muito da colaboração do paciente, já que ele precisa manter bons hábitos de higiene bucal em seu dia a dia. Porém, é comum as pessoas não terem informações adequadas sobre a dimensão da importância desse cuidado, e em outros casos, elas entendem isso, mas acabam realizando a higiene de forma inadequada.

O papel do dentista na prevenção odontológica

A contribuição do dentista para a prevenção de problemas e doenças bucais começa com a educação de seus pacientes. Nas consultas, ele motivará e ensinará como escovar adequadamente os dentes, a escova ideal a ser utilizada, a região da boca que necessita mais cuidado, o tipo de creme mais indicado para cada pessoa, como usar o fio dental, entre outras questões.

É importante entender que o dentista precisa, sim, ser consultado, já que cada pessoa tem uma necessidade diferente, e por isso existem tantas opções de produtos para higiene bucal. Cada uma é destinada para um devido fim e uma determinada proteção e cuidado com os dentes.

Mas, além de mostrar para os pacientes como realizar a higiene bucal em cada caso, o dentista também realiza procedimentos para complementar os cuidados em casa. Esses tratamentos são realizados no consultório, e precisam fazer parte da rotina de todos nós.

Procedimentos para prevenção de problemas bucais

O mais conhecido dos métodos de prevenção adotado pelos dentistas é a profilaxia, ou seja, a limpeza profissional. Ela consiste na remoção do tártaro, da placa bacteriana e também das manchas superficiais do esmalte dentário.
O profissional também realiza a aplicação de flúor, que tem a função de fortalecer os dentes e prevenir a formação de cáries, um dos problemas mais comuns. Além disso, ele também indica tratamentos específicos, como avaliação dos requisitos básicos para que se tenha uma mastigação adequada, ajustes no encaixe dos dentes e o uso de aparelhos ortodônticos, para evitar problemas mais graves.

A prevenção é a melhor medida a ser adotada. Ela deve ser uma ação conjunta entre paciente e profissional. Por isso, a recomendação das visitas a cada 6 meses deve ser seguida, pois esse é o tempo que já é possível verificar mudanças no equilíbrio dos dentes, se tornando um intervalo ideal para que o dentista possa reforçar os cuidados bucais praticados no dia a dia.

Porém, diversas condições específicas de cada paciente norteiam o intervalo para seu retorno preventivo, como o risco a caries, pacientes com comprometimento periodontal e perda óssea, diabetes, ou até mesmo que não conseguem fazer a higiene bucal diária adequada! Existem condições em que o retorno deve ser feito mensal ou a cada dois meses para que a saúde seja mantida! Fique atento!

Fale Conosco